segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Então é Natal!

Um Feliz Natal a todos!!! São os votos do Dogcão e sua turma.

Pensamento do dia

Eu não existo e muito menos me importo com o seus malditos desejos natalinos. Só estou aqui para ludibriar as crianças com falsas esperanças e para fazer você gastar seu miserável dinheiro em meu nome. Feliz Natal!

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

sábado, 24 de novembro de 2012

Viajando

Agora eu entendo porque o Mario Bros lutava contra tartarugas, e porque o Gargamel tentava pegar os Smurfs. Com cogumelos tudo faz sentido! www.rodrigoshampoo.jimdo.com

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Orlock, o poeta

Uma singela poesia de Orlock. Feita do fundo do coração com toda a emoção que ele pode proporcionar. www.rodrigoshampoo.jimdo.com

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Dogcão e o livro - Parte 2

O livro tem este poder! Aproveite a falta do que fazer e visite um site tão inútil quanto este blog que você está vendo agora: www.rodrigoshampoo.jimdo.com

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

terça-feira, 9 de outubro de 2012

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Traição

Mais divertido do que "A Praça é Nossa", mais engraçado do que "Zorra Total", mais comovente do que "Criança Esperança", mais dinâmico do que "Domingão do Faustão", mais legal do que "Programa do Gugu", mais carismático do que a "Xuxa", mais polêmico do que "A Fazenda", ele é o... Dogcão

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Pensamento do dia

Se algum dia eu te ofendi com algo que disse ou escrevi, gostaria que você soubesse que, do fundo do meu coração... eu não me importo.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Batman não existe

Uma piada enviada por Mariana Gama. 
Aproveite o seu momento de ociosidade e visite também o site onde tudo começou www.rodrigoshampoo.jimdo.com

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Pensamento do dia

Creio muito no destino porque me dá medo pensar que alguém como eu controla minha vida!

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Momento Rodrigo Shampoo

Olhe para o seu rabo 
 
Que tal aprendermos a olhar a verdade?
A face implícita da crueldade!
Um pouco de prazer e desgosto
Cortando com faca a garganta,
Enquanto o esgoto jorra do fosso.
O choro já não adianta.
Somos humanos porque achamos que sabemos!
Sabemos o que?
Aceitar sem perguntar por quê?
Acreditar sem questionar?
Batemos palmas para um espetáculo
E torcemos pelo próximo ladrão,
Votando numa democrática obrigação.
Pelo “filho da puta” que representará o povo no Planalto,
Políticos corruptos com o salário cada vez mais alto.
Policiais e bandidos de mãos dadas
E nos programas de TV só vejo palhaçada.
Vamos nos entorpecer
Com drogas no cérebro de quem não tem,
Babar pelas bundas frutas de quem não pensa.
Pedir a bênção.
Aos padres maniqueístas,
E pastores que roubam fiéis burros
Que adoram o Deus do sussurro.
Um Senhor ditador e egoísta,
De glória e natureza dubitativa.
Estou sem alternativa.
Vejo pessoas estúpidas e ignorantes,
Que se denominam humanos
Pelo simples fato de serem pensantes.
Seres bípedes de ímpar vaidade,
Que alimentam a maldade.
Celebramos a morte da língua com jargões,
Festejamos a prisão de assassinos, traficantes e ladrões.
Pagamos caro para que eles vivam na gaiola
E ao saírem matarão mais uma senhora.
Somos todos idiotas!
Produzidos pela nossa escola.
Meu time foi campeão!
Temos sol, carnaval e verão.
No nosso mundinho em estado de putrefação.
Trabalhamos para nada.
Sacudimos uma bandeira rasgada.
Ostentamos o vício dourado.
Somos gado marcado,
Com inveja de quem tem.
No espelho não somos ninguém,
Mas tentamos ser outro alguém.
Somos marionetes manipuladas
Eternamente de mãos atadas
No inferno de carta marcada.
A vida na árvore ressecada,
Na sombra negra ensanguentada.
Em cada palavra homicida,
Não há depressão,
Não sou um louco suicida.
Neste universo sem presença,
Somos uma doença.
Sei a força que preciso,
Basta-me abrir um sorriso!

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

domingo, 22 de julho de 2012

terça-feira, 17 de julho de 2012

Motivos para sorrir

Se você riu desse quadrinho eu já me dou por satisfeito. Se você não riu desse quadrinho... foda-se! Eu ri, e é isso que importa! www.rodrigoshampoo.jimdo.com

terça-feira, 10 de julho de 2012

Momento Rodrigo Shampoo


Crônicas sobre o meu tempo
 
Muitas vezes pedimos para que o tempo passe mais rápido, outras vezes caímos em contradição e gostaríamos de ter o poder de pará-lo. Seria fácil! É só quebrar o relógio! Mas o tempo lá fora não pararia, e você perderia tempo, este bem precioso que não queremos abrir mão, nem que seja para não fazer nada e reclamar depois que não tem tempo pra nada.
 
         "Tic-Tac dia e noite, noite e dia", neste ritmo frenético minha mãe dizia o que eu tinha que fazer nas primeiras horas do dia: Hora de acordar, hora ir pra escola... Já na escola quem ditava o ritmo era o sinal que estava sempre 5 minutos atrasado do relógio de parede da sala de aula. Mas a hora era sempre mais devagar quando estava perto da hora do recreio, mas depois do recreio passava rápido e logo era hora de ir embora.
 
         Ah, meu relógio de parede! Marcava sempre 13 horas quando o almoço estava na mesa, o meu relógio nunca errava. Mas logo depois ele dava uma de dedo duro e avisava para a minha mãe que era hora do banho, e depois do banho o dever de casa. Sentia raiva do meu relógio redondo pendurado na parede da cozinha, preto e branco com grandes números de um a doze e três ponteiros que não paravam de rodar, às vezes faziam um tic-tac insuportável. Mas o meu relógio se redimia quando falava para minha mãe que eu já podia brincar, e brincando eu esquecia do tempo, até ser chamado para tomar banho e jantar. Como eu odiava o tempo que parecia andar mais rápido enquanto eu brincava do que enquanto eu estudava.
 
Que relação de amor e ódio é essa que eu tenho pelo tempo? Será que todos têm? Por que eu tinha que ir dormir sem sono? Esse tal tempo é poderoso, ele não para nunca e ainda põe todos ao seu dispor. Menos eu, que enquanto estava sem sono eu olhava para a janela e o via passar na maior tranquilidade, pensando no novo dia que o sol traria na manhã seguinte.
 
Hoje eu sou escravo do meu tempo, sempre olho para as paredes à procura de um relógio. Mas ainda guardo o velho hábito da infância de olhar para janela sem sono antes de dormir, então eu olho para o meu velho relógio de parede e penso “estou livre de você, pelo menos até acordar”.
 
         Neste momento eu estou olhado a hora no meu relógio. Já estou atrasado, mas nem sei para quê!